Imagem de laboratório P3, no INSA-Porto   Os cursos de formação no domínio das doenças infeciosas são desenvolvidos nas instalações do Instituto Ricardo Jorge em Lisboa e em Águas de Moura. Em 2016, a oferta formativa inclui também inciativas em b-learning (regime presencial e à distância).

 

  • Data: de 22 outubro a 26 de novembro de 2018
    Duração total: 75 horas (40h componente teórica; 35h componente prática)
    Local: a componente teórica (de 25 set a 20 de out) realiza-se por e-learning, na Plataforma do INSAforma+; a prática decorre em contexto laboratorial (de 23 a 27 de out), nas instalações do Instituto Ricardo Jorge, em Lisboa;
    Inscrição: €350 curso completo; €200 apenas a componente teórica; a prática funciona com um mínimo de 6 e máximo de 15 formandos.
    Data limite de inscrição: 12 de outubro de 2018.
    Requisitos: os formandos devem dispor de um computador com acesso à internet, banda larga e com o Skype instalado.
    Código: 
    Coordenação: Rita Macedo.

    Sumário
    Com uma incidência global crescente ao longo dos últimos anos, a tuberculose (TB) continua a ser um problema de Saúde Pública em todo o mundo. A resistência aos antibióticos e, em particular, a multirresistência, tem constituído um desafio para os programas de controlo da TB e o laboratório assume assim cada vez maior importância na confirmação dos casos de tuberculose, com isolamento do agente e subsequente estudo de susceptibilidade aos antibacilares. A introdução de metodologias moleculares para o diagnóstico constituiu uma ferramenta essencial para a identificação rápida dos casos de tuberculose e de tuberculose multirresistente, o que veio permitir implementar precocemente medidas de controlo.  

    O curso "Diagnóstico laboratorial de tuberculose e micobacterioses" destina-se a todos os licenciados na área das Ciências da Vida e da Saúde que desejem promover competências nos domínios das técnicas clássicas e de biologia molecular de diagnóstico laboratorial da TB e de micobacterioses. As duas componentes do curso (teórica e prática) desenvolvem-se de forma independente, podendo os interessados optar apenas por uma. O curso realiza-se em regime de b-learning: a componente teórica é desenvolvida à distância e a prática em contexto laboratorial, nas instalações do Instituto Ricardo Jorge, em Lisboa.

    Consulte o programa (brevemente disponível) | Pré-inscrição

    Auto-inscrição
  • Data: 8-10 de novembro de 2017
    Duração: 18h
    Local: nas instalações do Instituto Ricardo Jorge, em Lisboa
    Preço da inscrição: 100€ (só componente teórica) e 350€ (componentes teórica e prática)
    Data limite de inscrição: 25 de outubro de 2017
    Código: 2017DDI0126
    Coordenação: Cristina Veríssimo
    Nº mínimo e máximo de formandos: 6 e 15

    Sumário
    As infeções fúngicas superficiais e subcutâneas afetam uma considerável parte da população. No entanto, o diagnóstico nem sempre é fácil e por isso muitas infeções permanecem subdiagnosticadas. A formação de profissionais de saúde nesta área específica é essencial para melhorar o diagnóstico laboratorial. No final do curso, os formandos deverão estar aptos a: conhecer as principais infeções fúngicas no Homem a sua etiologia e epidemiologia; reconhecer as particularidades da colheita e transporte de amostras clínicas para análise micológica; conhecer os métodos para diagnóstico laboratorial de infeções fúngicas superficiais e subcutâneas; conhecer a morfologia dos principais fungos filamentosos associados a estas infeções no Homem.

    Consulte o programa |  Pré-inscrição 

  • Data: 23 a 25 de outubro de 2017
    Duração: 15 horas
    Local: nas instalações do Instituto Ricardo Jorge, em Lisboa
    Preço da inscrição: €120 apenas as componentes teórica e teórico-prática | €160 acrescendo a componente de prática laboratorial
    Data limite de inscrição: 06 de outubro de 2017
    Código: 2017DDI0328
    Nº de formandos: até 18
    Coordenação: Manuela Caniça e Eugénia Ferreira

    Sumário
    A iniciativa tem por finalidade proporcionar aos participantes conhecimentos teóricos e práticos sobre: (1) a produção de β-lactamases, como principal mecanismo de resistência aos antibióticos em bactérias de Gram negativo, implicadas quer em infeções, quer causadoras de preocupação no Laboratório de Microbiologia; (2) as limitações das técnicas fenotípicas e moleculares (quer das metodologias clássicas, quer das mais recentes) na deteção de β-lactamases; (3) a necessidade de alertar para a produção destas enzimas no âmbito do diagnóstico microbiológico, nomeadamente contribuindo para uma melhor precisão dos respetivos resultados; (4) a resistência em bactérias de Gram negativo por mecanismos de impermeabilidade, bombas de efluxo, e alteração do alvo; (5) resistência aos antibióticos em bactérias de Gram positivo causada por diferentes mecanismos. A componente prática em laboratório permitirá consolidar os conhecimentos adquiridos nas outras componentes. Os formandos que desejarem validar as suas aprendizagens poderão optar pela realização de uma prova de avaliação. No final do curso, os participantes estarão aptos a selecionar a metodologia mais adequada em diversas situações reais do laboratório clínico ou outras. 

    Consulte o programa  |  Pré-inscrição  

  • Data: 23 de outubro de 2017
    Duração: 3 horas
    Local: nas instalações do Instituto Ricardo Jorge, em Lisboa
    Preço da inscrição: €5;
    Data limite de inscrição: 06 de outubro de 2017
    Código: 2017DDI0227
    Nº de formandos: lotação do anfiteatro
    Coordenação: Manuela Caniça

    Sumário
    O Departamento de Doenças Infeciosas do INSA realiza uma ação de curta duração sobre as normas EUCAST (European Committee on Antimicrobial Susceptibility Testing), da European Society for Clinical Microbiology and Infectious Diseases / European Centre for Disease Prevention and Control, implementadas em Portugal. A iniciativa permitirá aos participantes a aquisição de conhecimentos sobre a importância destas normas nos laboratórios de microbiologia, de diversas áreas, questões que lhe estão associadas, e mecanismos de resistência que permitem avaliar. 

    Consulte o programa  |  Pré-inscrição

  • Data: 11, 12 e 13 de outubro de 2017
    Duração: 3 dias (18h)
    Local: nas instalações do Instituto Ricardo Jorge, em Lisboa
    Preço da inscrição: €375
    Data limite de inscrição: 22 de setembro de 2017
    Código: 2017DDI242
    Coordenação: Maria João Gargaté

    Sumário
    A metodologia de referência para o diagnóstico laboratorial da malária é a observação microscópica directa com coloração de Giemsa. A identificação das diferentes formas de plasmodium é uma ferramenta determinante para o correcto diagnóstico desta infecção parasitária que requer, além de experiência do operador, uma sólida formação nesta área. Um diagnóstico laboratorial fidedigno é essencial para a detecção precoce, adequação da terapêutica, vigilância e controle da malária, nomeadamente na Europa países não endémicos onde a parasitémia é baixa e consequentemente mais difícil o diagnóstico. A solicitação do diagnóstico laboratorial desta infecção é frequente por parte de hospitais, centros de saúde e laboratórios privados que necessitam de técnicos mais especializados para assegurar o diagnóstico adequado através de metodologias de referência. 

    Através da ação de formação, os participantes ficarão aptos a identificar, diferenciar e quantificar o Plasmodium. São abordados os aspectos teóricos e práticos, desde a preparação dos esfregaços e gotas espessas até à identificação das várias espécies de Plasmodium que infectam o Homem. O curso aposta numa forte componente prática com observação microscópica de preparações da coleção de Plasmodium do Instituto Ricardo Jorge. Como destinatários, médicos, biólogos, farmacêuticos, técnicos de diagnóstico e terapêutica e outros profissionais da área de saúde que exerçam funções em laboratórios de análises clínicas

    Consulte o programa   |  Pré-inscrição

  • Data: 9 de outubro a 14 de novembro de 2017
    Duração total: 52 horas (40h por e-learning;  e 12h presenciais)
    Local: a componente teórica será lecionada à distância, através da plataforma do INSAforma+; a componente prática realiza-se nas instalações do Instituto Ricardo Jorge, em Lisboa;
    Preço da inscrição: €350 curso completo; €200 só componente teórica; a prática funcionará com um mínimo de 6 e um máximo de 12 formandos;
    Código:
    Data limite de inscrição: 30 de setembro de 2017
    Coordenação: Cristina Correia

    Sumário
    Na última década as metodologias moleculares conheceram um grande desenvolvimento no sentido da sua simplificação e possibilidade de utilização em laboratórios de rotina, tornando-se numa ferramenta indispensável para detectar e monitorizar em tempo útil um grande número de doenças. Na área das doenças infecciosas, as metodologias moleculares permitem um diagnóstico laboratorial rápido e muito sensível, particularmente importante na pesquisa de vírus e outros agentes infecciosos não cultiváveis ou de crescimento fastidioso. 

    Neste contexto, o Departamento de Doenças Infecciosas do Instituto Ricardo Jorge organiza um curso destinado a todos os licenciados na área das Ciências da Vida e da Saúde que verão promovidas competências nos domínios; das boas práticas em laboratório de biologia molecular; das técnicas de reação em cadeia pela polimerase (PCR), de modo a efetuar escolhas ajustadas às características dos serviços e/ou laboratórios; da realizaçao de técnicas de diagnóstico molecular, no âmbito das doenças infeciosas.

    As duas componentes do curso (teórica e prática) desenvolvem-se de forma independente, podendo os interessados optar apenas por uma. O curso realiza-se em regime de b-learning: a componente teórica é desenvolvida à distância, na plataforma INSA forma+, e a prática em contexto laboratorial no Instituto Ricardo Jorge, em Lisboa.

    Consulte o programa  |  Pré-inscrição

    Auto-inscrição
Ignorar Calendário

Calendário

Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 Hoje sábado, 16 dezembro 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31